domingo, 31 de outubro de 2010

HALLOWEEN







No elevador, quando estávamos saindo para a festa.



Na garagem do edifício onde moramos.





Na entrada da boite, uma mesa com "poções mágicas".



A dona da boite, que se tornou uma grande amiga nossa e admiradora do BDSM.



Ainda com a casa quase vazia, no início da balada.



Uma última foto junto da bruxinha, antes de retornarmos para casa.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

III ENCONTRO BDSM DO CERRADO - DE 9 A 12/10/2010: A ÚLTIMA CENA







Presa ao poste pelos grilhões, antes de ser envolta pelo filme plástico, que viria em seguida.









Depois de alguns minutos, já totalmente embrulhada.



Ao lado do nosso amigo {RN}_sagi, que ajudou o DONO de mim com a "plastificação".









Mumificada ao lado de alguns dos amigos e amigas que permaneceram conosco até a terça-feira.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

III ENCONTRO BDSM DO CERRADO - DE 9 A 12/10/2010: TERÇA-FEIRA PELA MANHÃ





















Amarrada na árvore. O mais desesperador, da mesma forma que no ano passado, foi sentir o passeio das formigas pelo corpo, inclusive nas regiões mais impróprias.

domingo, 24 de outubro de 2010

III ENCONTRO BDSM DO CERRADO - DE 9 A 12/10/2010: ÚLTIMO CASTIGO DA SEGUNDA-FEIRA













Presa na posição strappado ( com os braços para trás e erguidos ), exposta a um sol ainda escaldante, e com os pés ardendo sobre a areia quente.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

III ENCONTRO BDSM DO CERRADO - DE 9 A 12/10/2010: AINDA NA SEGUNDA-FEIRA PELA MANHÃ, A FINALIZAÇÃO DO CASTIGO

















Após mais alguns longos minutos de espera, quando os pulsos já estavam bastante dormentes e as dores pelo corpo quase insuportáveis, o DONO de mim permitiu-me que voltasse a enxergar para que eu observasse o modo como ELE ia retirar os prendedores: com o chicote. Algo que nunca havia acontecido antes. E assim foi adiante, golpeando-me sucessivas e torturantes vezes, até que boa parte deles cairam no chão enquanto eu chorava copiosamente.











E depois que o último deles se foi, restaram as belas marcas das mordidas na pele.